Marcieli Logo

Blog

  • Home
  • >
  • Blog
  • >
  • Fibroses e retrações nas cirurgias de blefaroplastia
  • Compartilhe:

Fibroses e retrações nas cirurgias de blefaroplastia

Cirurgia de blefaroplastia pode desenvolver fibrose?

Antes de responder essa pergunta, é importante esclarecer o que é blefaroplastia.

Blefaroplastia é a cirurgia destinada à correção da flacidez palpebral, sendo que em alguns casos pode ser associada a retirada das bolsas de gordura da região.

É uma cirurgia que normalmente evolui sem intercorrências ou complicações, não sendo comum os cirurgiões indicarem a atuação fisioterapêutica no pós-operatório desse tipo de cirurgia.

Entretanto, como qualquer procedimento cirúrgico, está suscetível a evoluções com edema (inchaço), equimoses (roxos), fibroses e retrações de cicatriz, cicatrizes hipertróficas, etc.

Tenho recebido com uma certa frequência pacientes com retrações palpebrais e aderências de cicatrizes decorrentes de cirurgias de blefaroplastias, na qual as complicações que apresentam poderiam ter sido evitadas com a atuação fisioterapêutica precoce.

Infelizmente, é frequente o paciente mencionar que não recebeu indicação de tratamento pós-operatório e somente recorreu a um profissional após perceber que com o passar dos dias a região endurecida ou a dificuldade para fechar os olhos não apresentava melhora.

Diante disso, faz-se necessário que a atuação no pós-operatório de blefaroplastias seja amplamente difundida, haja visto que muitos pacientes podem ser beneficiados do tratamento. Ainda assim, o próprio cirurgião tem o benefício de seu paciente ser acompanhado no pós-operatório por um profissional que conduzirá a evolução do quadro a fim de minimizar ou evitar que situações indesejadas aconteçam.

Uma vez que ocorre algum tipo de complicação nesse tipo de procedimento, é fundamental que o fisioterapeuta esteja apto a tratar e consequentemente auxiliar o paciente, minimizando resultados indesejados ou até sequelas, promovendo uma reabilitação adequada.

Retração palpebral e aderências cicatriciais pós-blefaroplastias têm tratamento e deve ser desenvolvido pelo fisioterapeuta.

A terapia manual é sem dúvida um diferencial para os fisioterapeutas que a utilizam no pós-operatório. Com esse tipo de abordagem terapêutica é possível tratar a região devolvendo mobilidade tecidual e consequentemente restauração da funcionalidade.

Investir no tratamento pós-operatório pode fazer a diferença no resultado final da cirurgia.

Faça fisioterapia pós-operatório.


Dra. Marcieli Martins
Especialista em Fisioterapia Dermatofuncional

Comentários

  • Compartilhe: