Marcieli Logo

Tratamento

  • Home
  • >
  • Tratamentos
  • >
  • Fisioterapia no pós-operatório de cirurgia plástica reparadora

Fisioterapia no pós-operatório de cirurgia plástica reparadora

Atuação fisioterapêutica no pós-operatório de Câncer

A atuação fisioterapêutica no pós-operatório de cirurgia plástica reparadora após retirada de tumores, tem como objetivo restaurar a funcionalidade e a estética que, na maioria dos casos, são comprometidas dos pacientes com câncer de mama e de cabeça e pescoço.

O paciente pode ser favorecido com o atendimento fisioterápico, pois é possível que todo esse processo seja superado com menos sofrimento.

A grande maioria dos pacientes submetidos à cirurgia reparadora apresenta dor, edema (inchaço), fibrose, retração de cicatriz e por consequência, restrição de movimento, limitação das atividades de vida diária (AVD’s), afastamento do trabalho, limitação da vida social etc.

Entretanto, a reabilitação auxilia na superação de todo o processo de pós-operatório e na reinserção desse paciente à sua rotina.

Quantos atendimentos/sessões de fisioterapia devem ser realizados no pós-operatório de uma cirurgia plástica reparadora?

O tratamento fisioterapêutico não deve ser algo “engessado”. O número de atendimentos será determinado após uma consulta. A partir de dados obtidos, será prescrito um tratamento fisioterápico que favorecerá o processo de recuperação. A proposta de tratamento desenvolvida pela Dra. Marcieli Martins permite (na maioria dos casos) que a recuperação estética e funcional aconteça com o menor número de atendimentos possível. O mais importante não é a quantidade de atendimentos e sim, a qualidade desses atendimentos.

Drenagem linfática manual pode ser realizada em pacientes pós-câncer?

Durante muitos anos, acreditou-se que a drenagem linfática pudesse fazer com que as células neoplásicas (células cancerígenas) se espalhassem através do estímulo linfático. Desta forma, essa prática foi contraindicada em pacientes oncológicos. Entretanto, vários estudos já mostram que não há prejuízos aos pacientes que necessitam do tratamento com drenagem.

Porém, a drenagem linfática manual, embora seja uma técnica conhecida e amplamente utilizada, não deve ser aplicada de forma isolada.
Quando se trata de cirurgia plástica reparadora, a fisioterapia tem um leque muito grande de técnicas e recursos que possibilitam tratamentos mais completos, atualizados e efetivos.

A drenagem linfática manual pode ser prescrita de forma isolada (após avalição fisioterapêutica), quando o paciente apresenta somente comprometimento linfático e não mais comprometimento tecidual (fibrose,limitação de movimento articular, retração de cicatriz, dor etc.).

É indicado utilizar aparelhos (eletroterapia) em pacientes com câncer?

O uso de eletroterapia é contraindicado nos pacientes oncológicos.

Quais tratamentos fisioterapêuticos que o paciente com câncer pode realizar?

A fisioterapia dispõe de uma infinidade de recursos que podem ser utilizados. Dentre os recursos que apresentam resultados extremamente satisfatórios e com menor contraindicação está a terapia manual. Através da terapia manual é possível trabalhar alterações de cicatrização (fibrose), alterações musculares e articulares.

Liberação tecidual funcional (LTF) pode ser utilizada em pós-operatório de cirurgias reparadoras?

A LTF é uma técnica manual que segue um conceito de tratamento.

Embora, inicialmente, tenha sido mais utilizada em cirurgias plásticas estéticas, ela pode ser aplicada em qualquer cirurgia e/ou condição clínica que necessite devolver mobilidade tecidual.

Intercorrências e complicações,como fibrose e aderências de cicatriz, podem ser tratadas com excelentes resultados por meio da técnica de LTF.

O tratamento fisioterapêutico no pós-operatório de cirurgia plástica reparadora consiste apenas na aplicação da técnica de LTF (liberação tecidual funcional)?

A LTF é uma das técnicas que pode ser aplicada no pós-operatório e apresenta resultados surpreendentes. Mas, quando se trata de reabilitar, o fisioterapeuta deve conduzir todo o processo de recuperação, seja no nível do subcutâneo, muscular ou articular.

Por isso, utilizar uma única técnica pode não ser a melhor conduta. Associar técnicas e recursos é o grande diferencial dos profissionais fisioterapeutas que prezam por desenvolver um atendimento diferenciado.

É bom lembrar que para que o tratamento fisioterapêutico seja efetivo a avaliação é indispensável. Um bom tratamento começa com uma boa avaliação. Só executa um bom tratamento quem sabe avaliar.

Quais cirurgias reparadoras podem ser beneficiadas com o tratamento fisioterapêutico?

Câncer de mama, câncer de cabeça e pescoço, cirurgia reparadora após traumas/acidentes, lábio leporino, retirada PMMA, cirurgias plásticas estéticas malsucedidas, entre outras.

Estou fazendo fisioterapia, preciso ser acompanhado por outros profissionais?

A assistência multidisciplinar (enfermeiros, nutricionistas, psicólogos, terapeuta ocupacional, fisioterapeutas, médicos etc.) é de extrema importância para que a recuperação aconteça em todas as esferas da reabilitação.


Dra. Marcieli Martins

Especialista em Fisioterapia Dermatofuncional

  • Compartilhe: