Marcieli Logo

Tratamento

  • Home
  • >
  • Tratamentos
  • >
  • Fisioterapia no pós-operatório de cirurgia vascular

Fisioterapia no pós-operatório de cirurgia vascular

A atuação no pós-operatório de cirurgia vascular surgiu a partir da demanda para atender intercorrências. Médicos e pacientes recorreram a mim para tratar alterações de cicatrização presentes nas áreas submetidas à cirurgia deste tipo.

Ao longo dos anos, tenho me dedicado a estudar e desenvolver um tratamento com resultados rápidos e em número reduzido de atendimentos. Com o tratamento fisioterapêutico manual é possível facilitar todo processo de pós-operatório em cirurgia vascular, otimizando os resultados e minimizando intercorrências e complicações.

O paciente que recorre a esse procedimento, na maioria dos casos, é devido à presença de varizes. As varizes são veias superficiais anormais, dilatadas, cilíndricas ou saculares, tortuosas e alongadas, caracterizando uma alteração funcional da circulação venosa do organismo, com maior incidência no sexo feminino (SBCV).

As varizes resultam em alterações funcionais importantes como o edema (inchaço) dos membros inferiores (pernas e pés), sensação de peso, dor do tipo “queimação” etc. Além das alterações mencionadas, quanto maior a gravidade das varizes, maior o comprometimento estético presente. Dessa forma, o paciente submetido à cirurgia vascular almeja que as alterações funcionais sejam solucionadas e a estética das pernas reestabelecida.

A fisioterapia, com sua essência de reabilitação, pode beneficiar o paciente de cirurgia vascular e ajudá-lo a alcançar os objetivos estabelecidos ao ser submetido ao procedimento cirúrgico. Sendo assim, o tratamento fisioterapêutico torna-se indispensável para aqueles pacientes que desejam uma recuperação efetiva com redução das intercorrências pós-cirúrgicas (edema, equimoses, hematoma, fibrose, retração de cicatriz, dor etc.) e por fim, alcançar o resultado estético idealizado inicialmente.

A atuação fisioterapêutica no pós-operatório de cirurgia vascular pode ser iniciada na fase pré-operatória (antes da cirurgia), intraoperatória (durante a cirurgia) e pós-operatória. A grande maioria dos cirurgiões acaba indicando o tratamento fisioterapêutico somente no pós-operatório. Quanto mais precoce o fisioterapeuta iniciar o tratamento, mais as intercorrências pós-cirúrgicas podem ser evitadas e/ou controladas e o paciente desfrutará de um pós-operatório menos traumático.

Posso realizar drenagem linfática no pós-operatório de cirurgia vascular?

A drenagem linfática manual é um dos recursos que pode ser utilizado pelo profissional fisioterapeuta. Quando se trata de uma reabilitação pós-operatória, a fisioterapia pode oferecer muito mais que a drenagem linfática manual. O edema é uma das intercorrências mais comuns, mas, por não ser a única, não deve ser tratada isoladamente. Quando o profissional deseja uma recuperação completa, o paciente deve ser tratado como um todo.

Realizei a cirurgia. O que eu devo fazer/comprar no pós-operatório?

– Adquirir toda medicação prescrita pelo médico;

– Comprar a meia elástica prescrita pelo médico e/ou pelo fisioterapeuta;

– Contratar os atendimentos de fisioterapia pós-operatória;

– Manter o repouso e orientações dadas pelos profissionais que acompanham o pós-operatório;

– Fazer a troca do curativo (quando necessário e de acordo com a orientação prévia).

O tratamento fisioterapêutico permite que o paciente fique sem a meia elástica?

Não, o tratamento fisioterapêutico não substitui o uso da meia elástica. A meia elástica no pós-operatório tem a função de auxiliar na redução do edema e/ou prevenir o edema (inchaço). Deve ser utilizada de acordo com orientação médica ou do fisioterapeuta que está tratando o paciente.

Realizei a cirurgia. Quando devo iniciar o tratamento fisioterapêutico pós-operatório?

Quanto mais precoce for o início do tratamento, melhores são os resultados. Obviamente, que a experiência e a formação do profissional que realizará o tratamento fisioterapêutico podem ser fatores determinantes para que a meta seja atingida, bem como o comprometimento do paciente com o tratamento proposto.

Hoje, já é possível iniciar o tratamento ainda em centro cirúrgico. É uma excelente opção de tratamento para quem deseja uma recuperação mais rápida e com menos intercorrências. Leia mais em Fisioterapia no Intraoperatório de Cirurgia Vascular.

Não realizei o tratamento fisioterapêutico e tenho dor na região que foi operada. O que devo fazer?

O paciente deve recorrer ao cirurgião que fez o procedimento para descartar qualquer complicação pós-cirúrgica. O fisioterapeuta pode realizar a avaliação e estabelecer o diagnóstico funcional, traçando um plano de tratamento para colaborar com a recuperação do paciente e para minimizar as intercorrências e/ou complicações presentes. Uma das maiores causas de dores tardias na região operada é a presença de fibrose, que pode ser tratada independentemente do tempo de pós-operatório.


Dra. Marcieli Martins

Especialista em Fisioterapia Dermatofuncional

  • Compartilhe: