Dra. Marcieli Martins - Fisioterapia Dermatofuncional Curitiba

  • Home
  • >
  • Blog
  • >
  • A cor de pele pode influenciar na qualidade da cicatriz?

A cor de pele pode influenciar na qualidade da cicatriz?

A cor de pele influencia na qualidade e no resultado das cicatrizes?

São muitos os fatores que interferem na cicatrização.

A cicatrização sofre interferência direta de vários fatores, dentre eles podemos destacar:

1. Tipo de pele (fototipo);

2. Idade;

3. Raça;

4. Estado nutricional;

5. Estado imunológico;

6. Diabetes;

7. Tabagismo;

8. Alimentação;

9. Local da lesão;

10. Técnica cirúrgica utilizada;

11. Curativos;

12. Tipo do fio utilizado para fechar a cicatriz;

Acima listamos 12 fatores que podem interferir no resultado da cicatriz, entretanto, é frequente a dúvida se a cor de pele pode influenciar na qualidade da cicatriz.

Alguns estudos afirmam que sim, a cor de pele (fototipo) pode influenciar na presença de cicatrizes hipertróficas e queloideanas.

Peles mais escuras, ou seja, fototipos mais altos, podem ser um dos fatores que interferem na formação das cicatrizes excessivas (cicatrizes hipertróficas e queloideinas).

A mais famosa classificação dos fototipos cutâneos é a escala Fitzpatrick, criada em 1976 pelo médico norte-americano Thomas B. Fitzpatrick.

Ele classificou a pele em fototipos de um a seis, a partir da capacidade de cada pessoa em se bronzear, assim como, sensibilidade e vermelhidão quando exposta ao sol, sendo:

1- Pele branca – sempre queima – nunca bronzeia – muito sensível ao sol;

2- Pele branca – sempre queima – bronzeia muito pouco – sensível ao sol;

3- Pele morena clara – queima (moderadamente)– bronzeia (moderadamente) – sensibilidade normal ao sol;

4- Pele morena moderada – queima (pouco) – sempre bronzeia – sensibilidade normal ao Sol;

5- Pele morena escura – queima (raramente) – sempre bronzeia – pouco sensível ao sol;

6- Pele negra – nunca queima – totalmente pigmentada – insensível ao sol;

Fonte: Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Por isso, é fundamental a atuação da equipe multidisciplinar, além é claro, do paciente seguir todas as orientações realizadas por esses profissionais.

É importante lembrar que o acompanhamento especializado pode fazer a diferença no resultado final da sua cicatriz.

Investir em um acompanhamento pós-operatório especializado pode ser determinante para o sucesso da cirurgia realizada.

E ae me conte? Você tem alguma cicatriz?

Como foi o resultado?


Dra. Marcieli Martins

Especialista em Fisioterapia Dermatofuncional

Tratamento especializado em pós-operatório, fibrose e aderência de cicatriz.

Quer saber tudo sobre fibrose?

www.tratamentodefibrose.com.br

Curitiba – PR

Comentários

Olá!

Faça parte da nossa lista exclusiva e receba conteúdos e novidades em seu e-mail!