Marcieli Logo

Blog

  • Home
  • >
  • Blog
  • >
  • Orientações para um bom pós-operatório
  • Compartilhe:

Orientações para um bom pós-operatório

25 orientações para um bom pós-operatório

Se você está estudando sobre pós-operatório, provavelmente já leu bastante sobre todo universo da Cirurgia Plástica (Leia sobre o Check list do Pré-operatório). Portanto, já sabe que a realização de pós-operatório com excelência é de suma importância para que o procedimento cirúrgico seja um sucesso.

Entretanto, muitos pacientes possuem dúvidas quanto aos procedimentos do pós-operatório e, quando essas não são esclarecidas, podem comprometer o resultado final de uma intervenção cirúrgica por falta de informação.

Objetivando o auxilio desses e, mais uma vez, difundindo os conhecimentos da Fisioterapia Dermatofuncional, neste post você encontrará 25 orientações que auxiliará para que você tenha um excelente pós-operatório. Vale ainda ressaltar que os itens são complementares, ou seja, o ideal é sempre seguir as orientações dos profissionais que estão acompanhando o pós-operatório.

1- Alimentação: manter a alimentação equilibrada evitará desconfortos desnecessários no pós-operatório como constipação intestinal, fraqueza, náuseas, etc;

2- Orientações pós-operatórias: seguir as orientações da equipe (médico, fisioterapeuta, enfermeiros, nutrição, etc.) é fundamental para o sucesso do pós-operatório;

3- Bebida alcoólica: deve-se evitar o consumo de bebida alcoólica enquanto estiver fazendo uso da medicação prescrita pelo cirurgião. Na dúvida, pergunte ao seu médico antes de retornar o consumo;

4- Cigarro: o consumo de cigarro no pós-operatório pode comprometer a cicatrização e favorecer a ocorrência de deiscência de sutura (abertura dos pontos), recorrência de seroma (acúmulo de líquido), entre outros problemas que o cigarro pode ocasionar;

5- Cinta modeladora: realizar os ajustes da cinta modeladora ou modelador pós-cirúrgico é importante para alcançar o resultado almejado com a cirurgia;

6- Não interromper o uso da cinta ou das placas sem autorização do fisioterapeuta. O modelador auxilia na redução do edema (inchaço), auxilia no controle da formação da fibrose e consequentemente contribuir para alcançar o sucesso da cirurgia plástica;

7- Meia anti-trombo: adquirir a meia anti-trombro e usa-la conforme orientação médica. É comum, a indicação da meia por 2 a 3 semanas;

8- Banhos: nos primeiros 15 dias é importante que o paciente não se exponha a banhos longos e com altas temperaturas. A água quente pode contribuir com o aumento do edema (inchaço);

9- Posicionamento no leito: encontrar uma posição que seja, dentro das limitações imposta pela cirurgia, confortável é um grande desafio. Por isso, utilize travesseiros, cunhas, rolos para que o paciente possa descansar enquanto se recupera;

10- Deambulação: muitos pacientes acreditam que por terem operado devem ficar restritos ao leito e levar somente para ir ao banheiro e ainda há aqueles que se quer levantam para realizar as necessidades básicas. É fundamental evitar a permanência no leito e o paciente deve ser orientado a deambular (caminhar), no mínimo a cada 2 horas, sempre respeitando as orientações para levantar e a posição para caminhar;

11- Retorno com o cirurgião: o paciente deve comparecer nos retornos agendados pelo cirurgião pois é essencial que o haja acompanhamento da evolução referente ao procedimento realizado;

12- Curativos: realizar a troca de curativos conforme orientação prévia auxilia na evolução das cicatrizes;

13- Remoção dos pontos: o paciente deverá comparecer no prazo solicitado pelo cirurgião para a remoção dos pontos (se houver). Não remover no tempo sugerido pode contribuir com um processo inflamatório e comprometer o resultado final da cicatriz;

14- Fisioterapia: a fisioterapia é uma das etapas mais importantes do pós-operatório. Realiza-la com um profissional habilitado poderá garantir o sucesso da cirurgia. Um bom fisioterapeuta conduzirá o pós-operatório unindo a reabilitação funcional (melhora global) e reabilitação estética, ou seja, a fisioterapia pode auxiliar desde o alivio da dor, melhora da postura, evitar fibroses e aderências cicatriciais, reduzir o edema e favorecer o resultado final da cirurgia;

15- Seguir as orientações da fisioterapeuta que está acompanhando e conduzindo o pós-operatório;

16- Cuidados com os cabelos: evite lavar e secar os cabelos sem ajuda após cirurgias de mama ou cirurgias faciais. Algumas cicatrizes precisam de cuidados especiais e há cirurgias que não permitem que o paciente eleve os braços para lavar e secar os cabelos;

17- Hidratação: mantenha a pele sempre hidratada;

18- Depilação: a depilação no pós-operatório pode ser realizada se a cicatriz estiver íntegra e a tolerância a dor estiver melhor. Caso contrário, realize quando se sentir mais confiante;

19- Exposição solar: proteger do sol é um dever dos pacientes no pós-operatório. A exposição solar pode colaborar com hiperpigmentação de determinadas regiões e as cicatrizes também podem escurecer se forem expostas ao sol. Na dúvida, proteja-se sempre. Abuse do filtro-solar, chapéus, óculos, roupas com proteção UV, etc;

20- Relação sexual: orienta-se aos pacientes que aguardem liberação médica para retorno da prática sexual. Recomenda-se em média 30 dias de abstenção em cirurgias de mama e abdominoplastia;

21- Dirigir: tudo dependerá da cirurgia que foi realizada. Nos casos de lipoaspirações por exemplo, não há restrição para dirigir. Já em cirurgias de mama e abdominoplastia, recomenda-se em média 15 a 21 dias para retornar;

22- Retorno ao trabalho: está é uma dúvida bastante comum entre os pacientes. Tudo dependerá da cirurgia que foi realizada e da necessidade do paciente retornar ao trabalho. Há pacientes que conseguem retornar ao trabalho com 2 dias e há casos de pacientes com 30 dias e ainda não se senti seguro. É importante, conversar com o cirurgião e com o fisioterapeuta para que juntos possam encontrar a melhor forma de retorno ao trabalho sem prejudicar o sucesso da cirurgia;

23- Atividade física: a prática de uma atividade física normalmente é suspensa para realização de um procedimento cirúrgico. O retorno dependerá da cirurgia que foi realizada, das condições clínicas e funcionais em que o paciente se encontra. A volta às atividades físicas normalmente deve ser feita de forma gradual, de acordo com as orientações do cirurgião, do fisioterapeuta e do educador físico;

24- Resultado final: o resultado final de uma cirurgia plástica é alcançado em média 06 meses após o procedimento. Siga todas as orientações dos profissionais que estão acompanhando. Sem dúvida, todos estão trabalhando para que o sucesso da cirurgia seja alcançado o mais breve possível. Entretanto, é necessário aguardar que o processo de cicatrização evolua para que o resultado final da cirurgia seja atingido;

25- Fotografia: a realização de fotos no pós-operatório é interessante para que o paciente consiga observar a evolução. Muitas vezes, por estar submerso nas emoções do pós-cirúrgico, os pacientes não conseguem perceber evoluções claras. Outro fato importante, esquecemos muito rápido de como éramos e nos acostumamos com muita facilidade com a nova realidade. Por isso, bom senso, expectativas reais e paciência permitirão que o pós-operatório seja mais tranquilo e menos traumático.

Ficou com alguma dúvida que não tenha sido contemplada no post acima?

Escreva pra mim!

Será um prazer poder colaborar com o seu pós-operatório.

obs: este post  tem caráter informativo e não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico ou autotratamento. Em caso de dúvidas, consulte o seu fisioterapeuta ou o seu cirugião.


Dra. Marcieli Martins

Especialista em Fisioterapia Dermatofuncional

Comentários

  • Compartilhe: